Para pensar...

"Se a educação sozinha não pode tranformar a sociedade, tampouco sem ela a sociedade muda."

Paulo Freire

16 de novembro de 2011

VOCÊ SABIA...

Que a lei N.º 10.639, de 9 de janeiro de 2003, incluiu o dia 20 de novembro no calendário escolar, data em que comemoramos o Dia Nacional da Consciência Negra!

E a mesma lei também tornou obrigatório o ensino sobre História e Cultura Afro-Brasileira. Com isso, professores devem inserir em seus programas aulas sobre os seguintes temas: História da África e dos africanos, luta dos negros no Brasil, cultura negra brasileira e o negro na formação da sociedade nacional...

Com a implementação dessa lei, o governo brasileiro espera contribuir para o resgate das contribuição dos povos negros nas áreas social, econômica e política ao longo da história do país.


A escolha dessa data não foi por acaso: em 20 de novembro de 1695, Zumbi - líder do Quilombo dos Palmares- foi morto em uma emboscada na Serra Dois Irmãos, em Pernambuco, após liderar uma resistência que culminou com o início da destruição do quilombo Palmares. 

Então, comemorar o Dia Nacional da Consciência Negra nessa data é uma forma de homenagear e manter viva em nossa memória essa figura histórica. Não somente a imagem do líder, como também sua importância na luta pela libertação dos escravos, concretizada em 1888. 

Referência:

20 de novembro Dia Nacional da Consciência Negra. Disponível no site do IBGE

CONSCIENTIZE-SE...

video

11 de novembro de 2011

FRANCINA NDIMANDE E MUITOS OUTROS...

Artista plástica sul-africana Francina Ndimande, de 64 anos, pinta em paredes painéis utilizando cores e formas que lembram sua cultura.

Francina, é uma princesa da tribo Ndebele, usava ainda "idzilas'' (enormes colares, pulseiras e tornozeleiras em cobre).

A artista aprendeu a pintar com sua mãe.



Confira nas telas abaixo outros artistas que produzem obras com o tema "Cultura africana"



RELATO DE UM ENCAMINHAMENTO DE ATIVIDADE DESENVOLVIDA PELA PROFESSORA CASTORINA DO 4º A


A professora sugeriu aos alunos que construíssem uma fita métrica com tiras de papel sulfite e régua. Posteriormente, foi realizada a medição dos alunos a partir da fita métrica trazida pela professora. As medidas dos alunos foi escrita em um cartaz (com papel Kraft) e o registro feito no caderno de Matemática. 
Foram desenvolvidas em sala de aula diversas atividades relacionadas com a tabela: situações problemas, SND (Sistema de Numeração Decimal), escrita e leitura de quantidades, ordem crescente e decrescente, fração e as quatro operações (adição, subtração, multiplicação e divisão).
Com o uso dos Classmates, os alunos digitaram e formataram a tabela  com suas alturas no Calc do BrOficce.Org. e construíram gráficos para demonstrar informações da tabela.
Em outro momento  fizeram o registro do peso de cada aluno, montaram outra tabela e construíram outro gráfico, agora em papel milimetrado, este foi exposto no mural da sala de aula.
Segundo a professora que realizou essa proposta de trabalho, o resultado foi gratificante, uma vez que  atingiu o objetivo de construir conhecimento matemático junto aos alunos a partir das medidas, construção de tabelas e gráficos.  



9 de novembro de 2011

TRABALHO COM O TEMA LAGARTA

O trabalho iniciou com a leitura da quadrinha "Lagarta":

LAGARTA PINTADA
QUEM FOI QUE PINTOU
FOI UMA VELHA
QUE POR AQUI PASSOU

 * * * *
Estudo da palavra LAGARTA e de outras palavras com a letra L.

Recorte e colagem de papel laminado picado na letra L.
Assistiram ao trecho do filme "Vida de inseto" que mostra a lagarta se transformando em borboleta (metamorfose).

O encaminhamento seguiu com contação da história "O caso da lagarta que tomou chá de sumiço"
 As professoras Juliana e Luzineide leram a história para os alunos, discutiram refletiram os acontecimentos com eles.

Confeccionaram a lagarta com caixas de ovos.

Levaram para casa cartões com palavras com a letra L para ler em casa.

O trabalho foi finalizado com a ilustração da adivinha da lagarta.

8 de novembro de 2011

PRIMEIROS ANOS SE DIVERTEM COM O SAPO...

Professoras Juliana e Luzineide desenvolvem o encaminhamento do tema "O sapo".

Utilizam histórias, textos, pesquisa na internet para fazer leitura, interpretação e produções com seus alunos.

Assistiram a um vídeo mostrando a metamorfose do sapo.
Estudaram a letra da música "Sapo Cururu".
Montaram "o sapo comedor de mosca"...




Após leitura do livro "O rabo do gato" pela professora, os alunos montaram um  livrinho:



Também fizeram um sapo de dobradura...


EDUCAÇÃO FÍSICA E A INFLUÊNCIA AFRO-BRASILEIRA


 Barra manteiga
 Cinco Marias
Bilboquê sendo confeccionado
 Crianças brincando de Escravos de Jó

Professora Olga, de educação física, realiza um trabalho de resgate de algumas brincadeiras e jogos provenientes da cultura afro-brasileira.
As diferentes povos africanos que vieram para o Brasil deixaram rico e valioso patrimônio social e cultural na construção da nação brasileira.
Neste patrimônio histórico encontramos a diversidade de jogos, brinquedos e brincadeiras que filhos de escravos faziam e nos transmitiram e que utilizamos até hoje.

Foram trabalhadas as seguintes brincadeiras:
  • Mathacozona (5 Marias)
  • Escravos de Jó
  • Mancala
  • Batata-quente
  • Capitão do mato
  • Barra manteiga

OBRA "EL BESO" DE ANETA SZACHERSKA

Partindo do enredo de um conto africano a professora Adriane desenvolveu uma proposta de trabalho enfocando a perfil humano. Trouxe para os alunos obras de Aneta Szacherska (abaixo).



Em suas aulas proporcionou momentos de estudo que possibilitaram um conhecimento maior a respeito das técnicas de pintura presentes nas composições dessa artista.
 "El beso" - Aneta Szacherska
 
 
A obra acima serviu de inspiração para a releitura produzida pelos alunos:
 

SAMBA EM CARTAZ...


Professora Adriane trabalhou com a obra "Samba no terreiro" de Heitor dos Prazeres.


Após leitura e discussão sobre o tema da obra, foram trazidas as músicas "Pierrô apaixonado" (1935), do mesmo autor e "Samba na areia e Carinhoso do Pixinguinha" para que os alunos apreciassem e conhecessem.

Como produção os alunos dos primeiros anos confeccionaram bonecos e penduraram em forma de varal para representar a leveza e movimento do samba. Os alunos dos 2º,3º,4º e 5º anos montaram cartazes com fundo colorido e acrescentaram os bonecos por eles confeccionados.